Tel.: (11) 3064-2035

Dermatologia Clínica, Cirúrgica e Estética

CRM-SP 131438

Dra. Renata Alves

Dermatologia Pediátrica

MOLUSCO CONTAGIOSO

O molusco contagioso é uma doença causada por vírus, mais observada em crianças. A doença é contagiosa e se transmite pelo contato físico ou através de superfícies contaminadas como piscinas.

 

O quadro caracteriza-se por "bolinhas" cor da pele que podem surgir em qualquer área do corpo (face, membros, tronco e dobras). Não é grave e não causa febre ou mal estar, mas as vezes pode causar prurido.

O tratamento de escolha é a remoção das lesões (curetagem), feita no consultório (após uso de anestésico tópico). Porém há alternativas como aplicação de medicamentos em casa (como tretinoína e hidróxido de potássio tópico).

 

DERMATITE DE FRALDAS

A Dermatite de fraldas (assadura) é frequentemente observada nos bebês. O quadro surge pelo calor e umidade local associado à irritação causada pela urina e fezes. A pele torna-se vermelha, macerada e irritada. O quadro pode ser agravado pela presença de fungos e bactérias.

 

O importante é adotar medidas para evitá-la como troca frequente de fraldas, usar algodão e água para a higiene local, evitar produtos perfumados e excesso de cremes na região.

É fundamental procurar o dermatologista assim que notar as lesões, para que o médico faça o exame completo da pele e se necessário peça exames complementares como o micológico direto (para avaliar a presença ou não de fungos). Outras doenças também podem afetar esta região como dermatite seborreica, psoríase, alergias e por isso somente após a consulta o médico decidirá qual o tratamento mais indicado.

 

DERMATITE ATÓPICA

A dermatite atópica é uma doença inflamatória, crônica que geralmente surge na infância. Muitas vezes está associada a outras doenças alérgicas como asma, bronquite e rinite.

O quadro é caracterizado por ressecamento da pele, vermelhidão e coceira em diferentes graus e pode atingir face, tronco ou membros. A doença não é contagiosa e alguns fatores podem agravá-la como: banho quente e demorado, uso de buchas, perfumes e roupas sintéticas.

 

A evolução é cíclica com períodos de piora geralmente no inverno.

Há tendência de melhora na adolescência, mas alguns pacientes podem persistir com as lesões na fase adulta

 

O tratamento depende da gravidade de cada caso. As opções terapêuticas incluem corticóides tópicos e orais, imunomoduladores e fototerapia. Algumas medidas devem ser adotadas por todos os pacientes como banho morno, rápido, sem bucha, com sabonete adequado e hidratantes específicos logo após o banho. Deve-se manter a casa limpa e arejada para evitar acúmulo de poeira.

 

Os pacientes com dermatite atópica devem ser acompanhados pelo médico dermatologista para evitar as crises agudas da doença e principalmente as complicações como infecções.

Rua Padre João Manoel, 235 - Cj. 104

Jardins- São Paulo - SP

Tel.: (11) 3064-2035

contato@drarenataalves.com.br

Este site segue os princípios do Código de Ética Médica Brasileiro e dos Princípios Éticos para Sites de Medicina e Saúde na Internet do CREMESP